Papa denuncia perseguições aos cristãos

O Papa Francisco alertou hoje no Vaticano para o número crescente de perseguições aos cristãos e denunciou os poderes que querem “silenciar” a voz dos que se lhes opõem. “Todas as pessoas que o Espírito Santo escolhe para dizer a verdade ao Povo de Deus sofrem perseguições”, declarou, na homilia da Missa a que presidiu na capela da Casa de Santa Marta.

Segundo o Papa, há hoje “tantos ou mais mártires do que nos primeiros tempos” do Cristianismo, porque “dizem a verdade, anunciam Jesus Cristo nesta sociedade mundana, nesta sociedade algo sossegada, que não quer os problemas. Há pena de morte ou prisão hoje, nalguns países, por ter o Evangelho em casa, por ensinar o Catecismo. Um católico destas nações dizia-me que não podem rezar juntos, é proibido, só se pode rezar sozinho e às escondidas”, declarou.

Francisco lembrou que Jesus foi “perseguido desde o início” da sua vida pública, com “calúnias”, e que todos os profetas “foram perseguidos” por pedir às pessoas que deixassem o caminho “errado” e se voltassem para Deus. “Às pessoas que têm o poder desta estrada errada, isso não agrada”, acrescentou.

O profeta, precisou, “luta contra as pessoas que enjaulam o Espírito Santo” e por isso é “sempre perseguido”.Francisco aludiu aos “pensadores da Igreja” que foram perseguidos como “heréticos”, por denunciarem o que estava mal, e que hoje são admirados e mesmo beatificados.

“Mas como é que ontem era um herege e hoje é beato? É que ontem, os que tinham o poder queriam silenciá-lo, porque não lhes agradava o que dizia. Hoje, a Igreja, que graças a Deus sabe arrepender-se, diz: ‘Não, este homem é bom’”, precisou. O Papa concluiu com uma oração para que todos os cristãos sigam o Senhor “pela sua estrada e, se for preciso, também com a cruz das perseguições”.

Fonte: Eclesia

Normas para utilização:

  1. Este espaço não é destinado a perguntas;
  2. Os comentários postados neste espaço serão moderados antes da publicação;
  3. O site não publica comentários que façam apologia à violência, contenham palavrões, sejam contra a legislação vigente, aos dogmas e fé da Igreja Católica Apostólica Romana, não digam respeito ao assunto da matéria, que contenham propaganda, que tenham cunho ofensivo ou mentiroso, obsceno, racista, homofóbico ou discriminatório;
  4. Seu e-mail não será exibido nos comentários postados;
  5. Ao enviar seu comentário você aceita as normas para publicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*